Pular para o conteúdo principal

Além de ser mais fácil de aplicar, é menos agressiva para quem tem medo de agulhas

A picada da vacina contra a covid-19 é a causadora de uma das reações mais comuns ao imunizante: a dor — de diferentes intensidades — no local da aplicação. Pesquisadores da Universidade de Queensland, na Austrália, criaram uma opção em forma de adesivo, que deve ser um alívio para quem tem medo de agulha e até para quem quer evitar a dor decorrente da vacinação.

Um estudo conduzido pela equipe observou, ainda, que a vacina adesiva pode oferecer resposta imune maior contra o novo coronavírus e suas variantes, como a Ômicron. Ainda não está claro o motivo e mais testes devem ser realizados até que o produto possa ser comercializado. O projeto tem a parceria da empresa de biotecnologia de Brisbane Vaxxas e, por enquanto, apenas roedores têm recebido o medicamento.

David Muller, um dos autores do estudo, lembra que, no momento, as vacinas existentes ainda são uma maneira eficaz de combater formas graves da doença. “Já demonstramos que uma vacina em forma de patch de microarray de alta densidade (HD-MAP) induz imunidade potente e proteção robusta em camundongos”, afirma.

Agora, os cientistas mostraram que o soro de animais imunizados com o HD-MAP manteve neutralização potente contra todas as variantes testadas. “A vacinação com o adesivo foi aproximadamente 11 vezes mais eficaz no combate à variante Ômicron quando comparada com a mesma vacina administrada por meio de uma agulha”, conta Christopher McMillan, outro coautor do estudo.

Ele destaca que os adesivos são muito mais fáceis de administrar. “Eles não são apenas mais eficazes contra variantes emergentes, são mais simples de aplicar do que as vacinas que usam agulhas.” Isso aumenta sua efetividade no mundo real. Uma nova etapa de estudos deve ser iniciada e, no futuro, devem ser feitos estudos clínicos, com humanos.

Por Roseli Andrion

Deixe uma Resposta