Pular para o conteúdo principal

O paciente é um homem de 33 anos, que esteve na Europa no período entre 11 e 26 de junho

Varíola dos macacos: Minas Gerais confirma 1º caso da doença 

O paciente está estável, em isolamento domiciliar

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) confirmou, nesta quarta-feira (29) o primeiro confirmado de monkeypox, chamada varíola dos macacos, em Minas Gerais.

“Conforme exame liberado em 29/06/2022 pelo Ministério da Saúde, o caso foi confirmado laboratorialmente. Trata-se de paciente do sexo masculino, 33 anos, que esteve na Europa no período entre 11 e 26/06/2022. A investigação confirmou que se trata de caso importado.”

De acordo com a pasta, o paciente está estável, em isolamento domiciliar.

“Os contactantes estão sendo monitorados e até o momento não houve identificação de caso secundário”, disse nota.

Casos investigados

Atualmente, de acordo com a secretaria, há três casos em investigação em Pará de Minas, Juiz de Fora e Varginha.

“Até o momento, os casos suspeitos não têm histórico de deslocamentos ou viagens para o exterior. Dentre os contatos próximos, ainda não há nenhum caso sintomático”, disse.

O que é a varíola dos macacos?

A varíola dos macacos é uma zoonose silvestre, ou seja, um vírus que infecta macacos, mas que incidentalmente pode contaminar humanos – o que ocorre geralmente em regiões florestais da África Central e Ocidental. A doença é causada pelo vírus da varíola dos macacos, que pertence à família dos ortopoxvírus.

A taxa de mortalidade de casos para o vírus da África Ocidental é de 1%, enquanto para o vírus da Bacia do Congo pode chegar a 10%. As crianças também estão em maior risco, e a varíola durante a gravidez pode levar a complicações, varíola congênita ou morte do bebê, aponta a OMS.

Por Larissa Ricci

Deixe uma Resposta